Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.9/2301
Título: Microfósseis do Grupo das Beiras (Monfortinho-Salvaterra do Extremo, Beira Baixa, Portugal Central)
Autor: Sequeira, António J. D.
Palavras-chave: Microfósseis
Neoproterozóico
Ediacariano
Complexo xisto-grauváquico
Grupo das Beiras (Portugal)
Região de Monfortinho (Portugal)
Região de Salvaterra do Extremo (Portugal)
Beira Baixa (Portugal)
Portugal (Centro)
Data: 2011
Citação: Sequeira, António J. D. - Microfósseis do Grupo das Beiras (Monfortinho-Salvaterra do Extremo, Beira Baixa, Portugal Central). In: Comunicações Geológicas, Tomo 98 (2011), p. 55-60
Resumo: Em ordem à verificação da existência, em território nacional, de microfósseis anteriormente descobertos na região de Coria (Espanha), foi efectuada, em Agosto de 1987, uma recolha de amostras na região de Monfortinho - Salvaterra do Extremo, nas unidades do Grupo das Beiras, do Supergrupo Dúrico – Beirão (“Complexo Xisto -Grauváquico”). Nesta região foi considerada uma sequência de quatro unidades constituída, da base para o topo, pelas Formações de Malpica do Tejo, de Ribeira de Arades, de Carril das Travessas e de Cabeço das Popas, tendo as três últimas sido definidas conforme Sequeira (1993). As Formações de Malpica do Tejo e de Carril das Travessas são essencialmente metagrauvacóides, enquanto a Formação de Ribeira de Arades é fundamentalmente pelítica. A Formação de Cabeço das Popas, com litologia mais variada, é caracterizada por uma predominância de metapelitos e metaconglomerados. Seis amostras de metapelitos, colhidas nas Formações de Ribeira de Arades, Carril das Travessas e Cabeço das Popas, foram analisadas no laboratório do Prof. Teodoro Palacios Medrano, na Universidade de Extremadura (Badajoz, Espanha), em Janeiro-Fevereiro de 1988, mostrando-se a maior parte delas muito ricas em possíveis cianobactérias planctónicas. Foram encontradas as espécies Bavlinella faveolata (Shepeleva), Vidal, 1976 e Palaeogomphosphaeria cauriensis Palacios, 1989 e os Tipos A e B, que Teodoro Palacios já havia reconhecido em Coria e a que deu idade de Ediacariano Superior. A Formação do Carril das Travessas foi a que mostrou uma associação planctónica mais completa, que inclui P.cauriensis, podendo correlacionar-se com o Membro II da Formação Cíjara. Com o presente trabalho pretende-se realçar o interesse destes microfósseis dado tratar-se dos únicos até agora conhecidos no Grupo das Beiras, em Portugal.
URI: http://hdl.handle.net/10400.9/2301
ISSN: 1647-581X
Versão do Editor: http://www.lneg.pt/iedt/unidades/16/paginas/26/30/95
Aparece nas colecções:GCG - Artigos em revistas nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Com98_p55.pdf192,59 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.