Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.9/2393
Título: Produção de bioetanol a partir de polpa de alfarroba: destoxificação de polifenóis por fotocatálise
Autor: Reis, Bruno Miguel Murta
Orientador: Albergaria, Helena
Oliveira, A. C.
Palavras-chave: Bioetanol
Polpa de alfarroba
Polifenóis
Fotocatálise
Hidrólise enzimática
Data de Defesa: 2013
Citação: Reis, Bruno Miguel Murta. Produção de bioetanol a partir de polpa de alfarroba: destoxificação de polifenóis por fotocatálise. Lisboa: Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências, 2013, 63 p.
Resumo: O aumento das necessidades energéticas a nível mundial e o elevado consumo de combustíveis fósseis tem levado à procura de fontes de energia renováveis, surgindo assim os biocombustíveis (e.g. bioetanol) como uma possível alternativa aos combustíveis fosseis. Nesta perspetiva, a polpa de alfarroba surge como um resíduo endógeno adequado à produção de bioetanol por conter uma elevada concentração de açúcares solúveis (40-50% peso seco (p.s.)), além de uma fração lenhocelulósica (aproximadamente 20% p.s.) que poderá ainda ser fermentada após hidrólise. No entanto, trabalhos recentemente realizados no LNEG mostraram que os baixos rendimentos obtidos na hidrólise enzimática da polpa de alfarroba podiam resultar do alto conteúdo em polifenóis na polpa. Assim, a finalidade do presente trabalho foi aplicar um método de destoxificação, designado de fotocatálise, à polpa de alfarroba para remover os polifenóis e avaliar o impacto deste processo no posterior rendimento da hidrólise enzimática. A polpa de alfarroba foi primeiramente caracterizada e processada de modo a se obterem três subprodutos diferentes: polpa de alfarroba inteira (PAI), xarope de alfarroba e polpa de alfarroba extratada (PAE). A PAE e os respetivos xaropes foram obtidos após extração dos açúcares solúveis da PAI por contacto direto com água, usando uma razão sólido:líquido de 1:3 e duas temperaturas de extração, 25 e 50ºC. Em seguida, aplicou-se o método fotocatalítico a cada um dos subprodutos mencionados. Os resultados mostraram que a fotocatálise removeu totalmente os polifenóis presentes nos xaropes (236,4 e 488,4 mg EAG/l). Contrariamente, na PAE a aplicação da fotocatálise levou a um aumento significativo dos polifenóis solúveis que foi de 6,30 mg EAG/g (p.s. PAE) para 20,64 mg EAG/g (p.s. PAE) na polpa extraída a 25ºC. No entanto, quer na PAE quer nos xaropes de alfarroba a cor castanho-alaranjada característica dos polifenóis corados existentes na polpa de alfarroba desapareceu após aplicação da fotocatálise. Por fim, aplicou-se a hidrólise enzimática à PAE tratada e não tratada por fotocatálise, tendo os resultados mostrado um aumento no rendimento da hidrólise de 22% para 38%.
Descrição: Dissertação submetida à Universidade de Lisboa, Faculdade de Ciências para a obtenção do Grau de Mestre em Engenharia da Energia e do Ambiente.
URI: http://hdl.handle.net/10400.9/2393
Aparece nas colecções:UB - Teses de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TeseMestrado_Bruno_Reis.pdf1,63 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.