Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.9/2616
Título: A litostratigrafia e estrutura do Supergrupo Dúrico-Beirão (Complexo Xisto-Grauváquico) em Portugal, e sua correlação com as correspondentes sucessões em Espanha
Autor: Silva, Antero Ferreira da
Palavras-chave: Litostratigrafia
Estrutura geológica
Ciclo varisco
Fase sarda
Paleogeografia
Turbidites
Metamorfismo
Precâmbrico
Câmbrico
Complexo xisto-grauváquico
Supergrupo Dúrico Beirão (Portugal)
Grupo das Beiras (Portugal)
Grupo do Douro (Portugal)
Espanha
Data: 2005
Citação: Silva, Antero Ferreira da - A litostratigrafia e estrutura do Supergrupo Dúrico-Beirão, Complexo Xisto-Grauváquico, em Portugal, e sua correlação com as correspondentes sucessões em Espanha. Alfragide, INETI, 2005, 32 p.
Resumo: Neste trabalho pretende-se caracterizar resumidamente a litostratigrafia de todas as sequências xisto-grauváquicas, actualmente identificadas em Portugal, constituindo o denominado Supergrupo Dúrico-Beirão (Complexo Xisto-Grauváquico). Serão tecidas considerações àcerca da sua sedimentação turbidítica, da sua paleogeografia e dos seus elementos cronoestratigráficos, bem como sobre a deformação e metamorfismo sofridos em tempos sardos e variscos. A finalizar procedeu-se a uma tentativa de correlação com as supostas correspondentes sucessões xisto-grauváquicas aflorantes em Espanha, neste mesmo Autóctone da Zona Centro-Ibérica. A sucessão do Supergrupo Dúrico-Beirão distribui-se pelos grupos das Beiras, do Douro e de Arda-Marofa. O primeiro é constituido pelas formações de Malpica do Tejo e de Rosmaninhal (fácies distal e proximal), de idade fundamentalmente do Ediacariano e, pontualmente, do Câmbrico inferior. O Grupo do Douro encontra-se sub-dividido pelas sucessões autóctone (formações de Bateiras e de Ervedosa do Douro) e alóctone (formações de Rio Pinhão ou Ponte da Chinchela e de Pinhão), com idade compreendida entre os finais do Ediacariano e o Câmbrico inferior a médio. Por fim, o Grupo de Arda-Marofa, que culminou a sedimentação da bacia xisto-grauváquica, distribui-se pelas formações de Póvoa, Real, Sátão, Excomungada-Ribeira do Colmeal, Queiriga, Desejosa, São Gabriel e São Domingos. A idade da sua sedimentação ter-se-ia processado desde o Ediacariano superior ao Câmbrico superior. As sucessões dos grupos das Beiras e do Douro são fundamentalmente constituidas por turbiditos distais e proximais clássicos, enquanto nas sequências do Grupo de Arda-Marofa se evidencia a presença de turbiditos de ondas modificadas, acompanhados de frequentes progradações a partir dos anteriores turbiditos, salvo nas formações de Desejosa e de São Gabriel, onde predominam os turbiditos distais e turbiditos vulcanoclásticos distais, respectivamente.
URI: http://hdl.handle.net/10400.9/2616
Aparece nas colecções:GCG - Working papers

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
30538.pdf276,19 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.