Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.9/438
Título: Vulnerabilidade, monitorização e risco na zona vulnerável do Tejo
Autor: Mendes, Maria Paula
Ribeiro, Luís F.
Paralta, Eduardo
Batista, Sofia
Silva, Emília
Cerejeira, Maria José
Sousa, Pedro Leão de
Palavras-chave: Hidrogeologia
Vulnerabilidade
Monitorização
Agricultura
Contaminação por nitratos
Pesticidas
Concelho da Golegã (Portugal)
Concelho de Alpiarça (Portugal)
Concelho de Santarém (Portugal)
Concelho da Chamusca (Portugal)
Concelho de Vila Nova da Barquinha (Portugal)
Concelho de Constância (Portugal)
Concelho de Torres Novas (Portugal)
Data: Mar-2006
Citação: Mendes, Maria Paula; Ribeiro, Luís F. T.; Paralta, Eduardo; Batista, Sofia; Silva, Emília; Cerejeira, Maria José; Sousa, Pedro Leão de - Vulnerabilidade, monitorização e risco na zona vulnerável do Tejo. In: Actas do VIII Congresso Nacional da Água, 13-17 Março 2006
Resumo: Em virtude das características hidrogeológicas e da ocupação agrícola intensiva, no dia 3 de Setembro de 2004, através da Portaria 1100/2004, o sector norte da zona aluvionar do Tejo foi designado zona vulnerável à poluição difusa de nitratos de origem agrícola (ZVT). Esta região abrangendo os concelhos da Golegã, Alpiarça, Santarém, Chamusca, Vila Nova da Barquinha, Constância e Torres Novas tem uma área aproximada de 19.124ha não estando contudo integrada a área protegida do Paúl de Boquilobo. Actualmente, a ZVT está a ser estudada no âmbito do projecto AGRO 530 intitulado ?Plano de Intervenção e Desenvolvimento de um Sistema de Apoio à Decisão para o Norte da Zona Aluvionar do Tejo?. Com início em Julho de 2004, participam neste projecto, o Instituto Superior de Agronomia (ISA), que coordena, o Instituto Superior Técnico (IST) e a Direcção Regional de Agricultura do Ribatejo e Oeste (DRARO). A partir do momento em que se designa uma área como zona vulnerável uma das obrigações processuais é a elaboração de um plano de acção (segundo o Decreto-Lei 235/97, artigo 7º). Um dos objectivos deste projecto é contribuir para uma correcta implementação daquele plano de maneira a que nessa zona se pratique uma agricultura sustentável e socialmente aceitável. O trabalho, que agora se apresenta, pretende divulgar as principais linhas de força desse projecto. Os resultados já obtidos sobre a qualidade da água subterrânea naquela zona vulnerável, principalmente no que respeita à contaminação por nitratos e pesticidas, mostram que nas áreas envolventes da Golegã, da Azinhaga e da Chamusca ocorrem teores de nitratos muito acima do valor legal de 50 mg/l de NO3, e que num total de 89 amostras de água subterrânea, colhidas em 2004, em 27% foram detectados pelo menos, um dos pesticidas e/ou metabolitos analisados, sendo que, em 146 amostras de água subterrânea colhidas em 2005, a frequência de detecção de, pelo menos, um pesticida e/ou metabolito, foi de 38%. Estes resultados reforçam a necessidade do desenvolvimento de sistemas de apoio à decisão, particularmente para o uso sustentável de fertilizantes azotados e de pesticidas nas principais culturas da ZVT.
URI: http://hdl.handle.net/10400.9/438
Aparece nas colecções:HAS - Comunicações em actas de encontros científicos nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
31227.pdf791,83 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.