Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.9/448
Título: Avaliação da vulnerabilidade do Sistema Aquífero dos Gabros de Beja e análise crítica das redes de monitorização no contexto da Directiva Quadro da Água
Autor: Paralta, Eduardo
Francés, Alain
Ribeiro, Luís F.
Palavras-chave: Hidrogeologia
Vulnerabilidade
Monitorização
Poluição da água
Sistema Aquífero dos Gabros de Beja (Portugal)
Data: Jun-2005
Citação: Paralta, Eduardo; Francés, Alain; Ribeiro, Luís F. T. Avaliação da vulnerabilidade do Sistema Aquífero dos Gabros de Beja e análise crítica das redes de monitorização no contexto da Directiva Quadro da Água. In: Actas do VII Simpósio de Hidráulica e Recursos Hídricos dos Países de Língua Oficial Portuguesa - SILUSBA, Évora, 30 de Maio a 2 de Junho de 2005
Resumo: A situação de poluição persistente por nitratos de origem agrícola do Sistema Aquífero dos Gabros de Beja (350 km2) foi recentemente reconhecida na Portaria nº 1100/2004 de 3 de Setembro, relativa às Zonas Vulneráveis (Zona Vulnerável nº 6). Pela sua extensão, importância para abastecimento público e inclusão no Plano de Rega do Alentejo no âmbito do Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva merecem especial atenção os aspectos relacionados com o mapeamento espacial da vulnerabilidade (intrínseca) e do risco de poluição associado às novas técnicas agrícolas. A abordagem da vulnerabilidade aquífera utiliza índices empíricos e semi-empíricos consagrados na bibliografia (DRASTIC, GOD, AVI e outros) e critérios litológicos (EPPNA) para definir a vulnerabilidade intrínseca, apresentando uma perspectiva comparada dos vários métodos e sugerindo variáveis determinantes, no contexto hidrogeológico e agro-climático específico dos Gabros de Beja. No âmbito da Directiva Quadro da Água e da sua congénere para as Águas Subterrâneas que se aguarda para breve, os Estados-Membros da CE e as respectivas entidades regionais responsáveis pela utilização dos recursos hídricos e pelo ordenamento do território devem assegurar a protecção, melhoria e reposição do bom estado químico das águas subterrâneas, prevenindo a sua poluição. À vários anos que o Instituto da Água, por intermédio das direcções regionais, tem vindo a operar uma rede de monitorização de qualidade da água subterrânea nos Sistema Aquífero dos Gabros de Beja, que tem sido usada como referência para avaliação da qualidade do aquífero, em especial no que respeita à poluição difusa. Segundo a DQA, as massas de água em risco como é o caso dos Gabros de Beja, carecem de estudos hidrogeológicos apropriados e instalação de redes de monitorização (monitorização de vigilância e operacional) apropriadas, que sejam representativas das massas de água a monitorizar. Com base nos dados publicamente disponíveis faz-se uma análise critica da representatividade da rede, dos parâmetros analisados e da frequência da amostragem à luz da DQA e da legislação das Zonas Vulneráveis, no sentido de contribuir para a sua optimização.
URI: http://hdl.handle.net/10400.9/448
Aparece nas colecções:HAS - Comunicações em actas de encontros científicos internacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
33609.pdf748,68 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.